Max Cavalera e Lemmy: A relação teve um começo tempestuoso

10 de março de 2016 at 15:00 Deixe um comentário

Imagem

Em entrevista a Niclas Müller-Hansen, do site RockSverige.se, Max Cavalera (SOULFLY, SEPULTURA, CAVALERA CONSPIRACY), comentou sobre a morte de Lemmy Kilmister e sua relação com a lenda.

RockSverige.se: perdemos Lemmy recentemente. O que ele significava para você?

Max: Ele era uma grande pessoa. Minha relação com ele não começou bem. Começamos com o pé esquerdo. Eu era muito novo e o Sepultura estava abrindo para o Motorhead na Alemanha. Fizemos uma seção de fotos e eu estava com um vinho e estava derramando vinho nele. Eu estava sendo um completo idiota. Na minha cabeça eu achava que aquilo era rock and roll. Eu entendo que ele me olhou e apenas me achou um cuzão infantil, arrogante e bêbado já no meio da tarde. Apenas um completo idiota. Começamos com o pé esquerdo e depois entramos no show deles pelados e estragamos o show e ele queria me matar depois disso. Ele disse para Gloria [Cavalera, esposa e manager de Max], “Esse cara não deve chegar perto de mim.” E eu estava tipo “Ah merda! Eu irritei um dos meus ídolos. Como isso aconteceu?” Porque eu amava o cara e sua música. A primeira vez que o vi foi realmente legal. Eu estava enchendo o saco dele e ele derramou um copo de uisque na minha cabeça. Eu achei aquilo muito legal e pensei que tinha sido batizado ou algo do tipo. Mas ele fez aquilo para me afastar, tipo “Me deixe jogar meu video-poker em paz.” Eu fiquei sem tomar banho por uma semana. O mais legal foi que em um de nossos shows no U.K., logo depois da morte de Dana [o enteado de Max morreu em um acidente de carro em 1996]… Lemmy ouviu falar disso e veio falar comigo e estava realmente sentido pela minha perda e falou, “E por falar nisso, está tudo bem entre nós. Você pra mim é um cara legal.” E eu estava tipo “Legal. Finalmente.” Eu não queria ser o cara que irritou seu ídolo. Foi uma relação engraçada. Fiquei realmente triste quando ele morreu.”

RockSverige.se: Ele disse se gostava de sua música?

Max: Sim. Ele deu uma entrevista para uma revista brasileira. E ele disse algo que quase me fez chorar. O quão importante eu era para o Brasil. “O que ele fez pelo Brasil, vindo do Brasil, foi uma grande vitória.” E eu achei tão legal ter isso vindo dele. Eu não esperava. O cara da revista me mandou e disse que eu ia gostar daquilo. Aquilo foi legal, muito legal.

Vi no Whiplash

Entry filed under: conhecimento, Música, Outros Blogs, Rock, Texto. Tags: , , , , , , , , , .

Ah! Esse Kibe… Emily Bett Rickards

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Dabun’s Page


Desde 28/07/2.009

Estatísticas

  • 336,327 acessos

RSS RSS


%d blogueiros gostam disto: