Posts tagged ‘Informática’

O COMPUTADOR DE 17 REAIS! – Raspberry Pi Zero

Pra quem tá duro que nem eu!

5 de dezembro de 2017 at 9:00 Deixe um comentário

ANDREAS ANTONOPOULOS: “DÊ DOIS ANOS AO BITCOIN”

As indústrias de tecnologia estão sempre à beira de dominar o mundo ou entrar em colapso repentinamente: biotecnologia, nanotecnologia, robótica, IA (inteligência artificial) e é claro, criptomoedas, todas vivem em um estado que se aproxima da euforia em um dia, seguida por um total desespero no outro.

E assim foi recentemente com o Bitcoin & Blockchain Summit, em São Francisco. Como em muitas conferências de bitcoin, um orador entusiasmou a audiência enquanto o seguinte só confundiu.

Estórias de limitações tecnológicas, regulamentações invasivas e consumidores desconfiados, podem deixar até o mais entusiasta dos devotos desanimado. Mas ao final da conferência One-day bitcoin-by-the-Bay (um dia de Bitcoin pela baía), os participantes receberam uma importante chamada a pegar em armas, liderada por Andreas Antonopoulos.

Antonopoulos é um especialista em segurança, empreendedor e defensor de alta visibilidade do bitcoin. Com um semblante rígido – e cabelo no estilo – da Star Trek TOS Kligon, Antonopoulos passeou pelo palco e fez história para bitcoin,  isso sem gráfico ou gamificação (gamiphication) – apenas um homem, um microfone e uma enorme convicção. A audiência deixou de lado seus smartphones, guardou seus MacBooks e devoraram-no.

A GRANDE FORÇA DO BITCOIN

Então ele vasculhou as razões pelas quais o bitcoin funciona, dizendo que o bitcoin é um processo de transações mudo. “Esta é uma de suas potentes e mais incríveis características”, proclamou Antonopoulos. É uma rede muda que suporta acessórios inteligentes, impulsionando toda a inteligência ao limite.

“Isto significa que se você construir uma nova aplicação baseada em bitcoin, você pode operar os dispositivos finais e você pode construir uma aplicação, sem precisar pedir permissão para inovar a ninguém. É a inovação sem permissão. É a inovação sem uma aprovação central.

Compare ao sistema bancário atual, ele disse – construído acerca de redes super inteligentes controladas de forma absoluta e rigorosa para entregar informações muito específicas a pontos finais muito mudos (mudos será???) . Serviços que os bancos decidem oferecer a seus clientes.

“Quando a Visa inova, apenas a visa ganha com isso. Se o Bank of America faz algo novo e atrativo, eles o fazem de forma competitiva e excluem qualquer outro banco que não implementar esta melhoria. O bitcoin é um recurso comum, cuja utilização aumenta o valor daquele recurso sem excluir ninguém. O poder de impulsionar a inteligência ao limite, de não fazer decisões centralizadas, move a inovação para as mãos dos usuários finais.”

O PIOR ANO NO BITCOIN

E quanto a 2014 ser o “pior ano em bitcoin”, Antonopoulos disse que somente é se você estiver prestando a atenção no preço. De fato, o ano foi marcado pela implantação de duas tecnologias notáveis: multi-seg e carteiras deterministas hierárquicas (hierarchical deterministic (HD) wallets).

“As companhias que inventaram e implementaram aquelas melhorias, fizeram-nas em 2012 e estamos colhendo os benefícios nos dias de hoje. E em 2014, durante “o pior ano do bitcoin”, 500 startups receberam $500 milhões em investimentos, gerando 10 mil empregos – e nenhuma daquelas inovações deu retorno ainda, porque acabaram de começar. Dêem-nos dois anos. Agora o que acontece se você jogar 500 companhias e 10.000 desenvolvedores no problema? Dêem dois anos a isto e você verá algumas coisas maravilhosas no bitcoin”.

Antonopoulos encerrou com uma previsão.

“Você coloca em um ecossistema descentralizado e aberto: open source (código aberto), open standards (padrões abertos), open networking (rede aberta), e a inteligência e a inovação impulsionarão os rumos até o limite – ponha isso contra um sistema fechado, controlado por um provedor central, onde você precisa de permissão para inovar, e quem o fizer, inovará com base na exclusão e na competitividade com outras empresas – e nós vamos esmagá-los”.

 Fonte: Inside Bitcoins

Vi na Bitcoin News

28 de novembro de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

Na nuvem

Comparação: 8 dos melhores serviços para você guardar arquivos na nuvem

Não consegue ler, clique na foto!

Vi no TecMundo

13 de novembro de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

Estou formatando Micros!

4 de outubro de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

hahahahaha!

Nunca teime com um computador!

Resultado de imagem para tirinha vertical

Via Google Images

9 de março de 2017 at 15:00 Deixe um comentário

Redes Sociais

Resultado de imagem para redes sociais

Formado em 1997 na Universidade de Marília (UNIMAR), como Tecnólogo Superior em Informática, posso dizer que vi a tecnologia ir ganhando seu espaço em nossas vidas e com certeza acompanhei o desabrochar da internet como a conhecemos hoje em nosso país.
O que vou escrever aqui não é regra, porém da mesma maneira que não se vai numa festa black tie de bermuda e camiseta a maneira como se comportar nas redes sociais pode muito bem queimar o seu filme na sociedade.
Hoje temos um universo de aplicativos que nos colocam a disposição dos nossos “amigos” vinte e quatro horas por dia.
Sempre fui comedido em relação aos comunicadores sociais, confesso que não utilizei o ICQ, programa pioneiro de comunicação instantânea criado em 1996, entretanto não foi possível fugir mais quando comecei a usar o Orkut.
A partir daí, criei uma conta no Skype e com o advento do Facebook uso também o Messenger para me comunicar quando estou utilizando o desktop.
Poucas pessoas usam computadores de mesa ou notebooks hoje em dia, resolvem tudo via smartphone ou tablet e se comunicam com os aplicativos já mencionados e principalmente o WhatsApp.
Aplicativo esse que ficou famoso por criar grupos e proporcionar a inclusão de fotos, vídeos, mensagens faladas dentre outros arquivos.
Introdução feita eu gostaria de tentar expressar aqui um código de ética para os usuários desses programinhas.
Uma coisa que eu não sabia, mas me explicaram esse dias: “nada de imagem com mensagens no Instagram”, que é um aplicativo para postar fotos e vídeos; do filho, da planta, da comida, do cachorro, da família, do passeio… mas fotos que você tirou, com sua máquina ou celular.
Vale até colocar os filtros, deixar preto e branca, com moldura, juntar várias, mas tem que ser original, uma coisa que só você poderia ter feito.
Quer colocar mensagem põe no Facebook.
Facebook pode por mensagem, foto, vídeo do Ozzy ou do Metallica, criticar o governo, pedir a namorada em casamento, o Face é tipo a casa da mãe Joana dos aplicativos, pode quase tudo… menos baixaria, palavrão, ofensas, pornografia, MENTIR…
Não faça nada no Face que você não faria pessoalmente.
Tentem não postar fotos ou vídeos que possa estragar o dia de quem está vendo, imagens de acidentes, pessoas doentes, animais maltratados. Aqui vai do bom senso de cada um, às vezes palavras podem chamar a atenção e não chocar tanto quanto imagens.
Outra coisa que dói na alma é erro de ortografia. Acredito que muitos usuários têm dificuldades com a língua de Camões, contudo o aparelho de celular ou o computador sempre deixam disponível um corretor ortográfico, que se não faz um trabalho cem por cento, dá uma grande ajuda.
Como eu explanei lá em cima o WhatsApp criado pra ser um substituto do SMS, logo virou mania nacional, não só porque conseguimos conversar com pessoas ao redor do mundo sem pagar as altas taxas de transmissão de dados, mas também por causa dos grupos.
E por falar em grupos ficam algumas dicas:
Não é porque fulano e beltrano não respondem ou não dão o famoso “bom dia”, “boa noite” ele é uma pessoa mal educada, pode ser apenas que ele utilize a tecnologia para fins mais específicos.
Cuidado com o que escreve no grupo, principalmente se for ofensa, muitas vezes o ofendido está no grupo e você nem percebeu.
O excesso de mensagens anexadas nos grupos também podem prejudicar àqueles que não sabem apagar o conteúdo e logo estarão com a memória do aparelho entupida de imagens e vídeos que será impossível fazer uma simples ligação.
Agora para textos longos, acompanhados com uma infinidade de anexos nada ainda substitui o email.
Como já mencionei, o que escrevi aqui não é regra, porém se soubermos utilizar a tecnologia de maneira correta, estaremos sempre um passo a frente pra receber o que de novo o futuro nos proporciona.

                 Inibmort

14 de outubro de 2016 at 15:00 Deixe um comentário

Netflix deve oferecer recurso para ver filmes offline

Recurso pode ser limitado apenas para dispositivos móveis, já que smartphones e tablets não podem armazenar muitos filmes e séries.

POR Marina Demartini, de EXAME.COM

Homem dormindo em frente à tviStock | OcusFocus

Os usuários da Netflix poderão ter uma grande novidade em breve. Especialistas afirmam que o serviço de streaming está criando um recurso para que seja possível fazer o download de filmes e séries. O grande benefício disso seria a possibilidade de ver conteúdo mesmo sem acesso à internet.

Com isso, pessoas que estejam viajando e sem acesso ao plano de dados, ou mesmo quem estiver dentro de um avião, poderão passar o tempo vendo alguma coisa na Netflix.

“Sabemos de nossas fontes de dentro da indústria que a Netflix irá lançar este produto”, diz Dan Taitz, COO da Penthera – uma empresa que oferece um software na nuvem similar ao Dropbox, em entrevista para o site Light Reading. Ele estima que a opção seja apresentada até o final do ano para os clientes do serviço.

Dan Rayburn, principal analista da Frost & Sullivan, uma firma de consultoria focada em novas tecnologias, confirma a informação de Taitz. “É uma progressão natural a Netflix querer ter alguns de seus conteúdos disponíveis para que os consumidores possam ver offline. Nós estamos ouvindo há meses que eles irão liberar algo em breve”, conta Rayburn ao Light Reading.

No início deste ano, Reed Hastings, CEO da Netflix, disse em uma entrevista com investidores que estava aberto à ideia de oferecer downloads de vídeo. “Embora nosso foco permaneça na entrega de uma grande experiência de transmissão, estamos sempre explorando maneiras de tornar o serviço melhor”, acrescentou Anne Marie Squeo, porta-voz da Netflix, no mesmo evento.

Apesar de interessante, a ideia ainda precisa ultrapassar uma barreira que persegue a Netflix desde a sua criação: os direitos de conteúdo. Para Rayburn, o novo recurso provavelmente será limitado pelos estúdios de cinema. Contudo, ele espera que todo o conteúdo produzido pela Netflix, como as séries House of Cards e Orange is the New Black, fique disponível para download.

Outra desvantagem do download de conteúdo, segundo o analista, é que ele será possivelmente limitado para dispositivos móveis. Afinal, smartphones e tablets não podem armazenar muitos filmes e séries.

Vi na Superinteressante

28 de junho de 2016 at 15:00 Deixe um comentário

Posts antigos


Dabun’s Page


Desde 28/07/2.009

Estatísticas

  • 336,331 acessos

RSS RSS