Posts tagged ‘Saúde’

Max Cavalera: “Metal é a melhor terapia do mundo”

Por Bruce WilliamFonte: Joel Gausten

Durante artigo publicado em novembro de 2017 pelo jornalista Joel Gausten no seu site, onde traça uma panorâmica da carreira de Max Cavalera, o músico conta o que o mantém até hoje, passados 35 anos, fiel ao gênero que o consagrou:

“Não é pelos prêmios ou pelo lado materialista, não dou a mínima para isto. É pelo amor ao Metal e para ouvir os fãs dizendo que eles realmente gostam do que estamos fazendo. Alguns deles chegam a dizer que isto salvou suas vidas, e minhas músicas são parte importante de suas vidas. Pra mim, esta é a coisa mais legal que posso ouvir de um fã. É o que me mantem de pé. E eu preciso disto tanto quanto eles precisam. Eu uso o Metal em minha vida diária. Quando estou depressivo ou algo assim, coloco coisas pesadas e boas e imediatamente me sinto melhor. Metal é a melhor terapia do mundo”.

Vi no Whiplash

15 de novembro de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

Por que você nunca deve beber café de barriga vazia

Uma recente pesquisa revelou que um dos hábitos mais tradicionais do brasileiro – de tomar café puro pela manhã – não é uma boa ideia

Quente ou gelado, forte ou fraco: tomar café é um dos hábitos mais tradicionais do brasileiro. Ao todo, 80% da população saboreia ao menos uma xícara por dia, segundo a Fipe. Inúmeras pesquisas já revelaram os benefícios da bebida, como a diminuição da mortalidade entre os amantes da cafeína e a proteção do cérebro contra a demência. Mas, embora não haja nada de errado no consumo constante, você deve se esquecer de bebê-lo de estômago vazio.

De acordo com uma pesquisa publicada pela revista americana Reader’s Digest, essa prática pode prejudicar o sistema digestivo, já que o café, quando entra em contato com o estômago, produz ácidos estomacais que podem danificar as paredes do próprio órgão, causando indigestão e azia.

Além disso, segundo a publicação, tomar café com o estômago vazio altera todo o ciclo circardiano do corpo. Ou seja, o relógio biológico deixa de funcionar de formar eficaz, devido à alteração nos níveis de cortisol – hormônio que mantém o corpo alerta e com energia. Parece contraditório, já que o senso comum acredita que é só por meio do café que o corpo acorda. Mas, na maioria das vezes, a bebida pode atrasar todo o funcionamento biológico para um bom começo de dia.

Segundo o médico e diretor da PushDoctor.co.uk, Adam Simon, em entrevista ao site britânico Express, essa rotina pode potencializar o nervosismo, a ansiedade e outros efeitos colaterais, incluindo alterações de humor. “O café também pode aumentar a freqüência cardíaca, irritabilidade e incapacidade de se concentrar”, completou. Ele recomenda que a prática seja alinhada com um café da manhã balanceado e saudável.

Este conteúdo foi publicado originalmente em Exame.com

Vi na Superinteressante

14 de novembro de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

Bruce Dickinson: indignado com reação machista ao seu câncer na língua

Por Bruce WilliamFonte: Blabbermouth

Durante conversa com a iNews, Bruce Dickinson explica que em sua autobiografia, “What Does This Button Do?”, que sai agora em outubro, ele falou abertamente sobre o câncer que o acometeu na língua no final de 2014, já que é algo que pode acontecer com pessoas que não tem histórico de abuso de cigarro ou álcool, ao contrário do que muitos pensam.

“Tentei ser o mais claro possível, contando como é passar por isto”, conta Bruce, em seguida relatando que ele teve sorte de ter superado a doença sem maiores efeitos colaterais. “Mas a verdade é que o tratamento em si é extremamente doloroso. Falei com muitos que passaram pela mesma coisa e fizeram o mesmo procedimento que eu e embora todos tenham tido um bom resultado, um ou outro passou por momentos horríveis, muito piores que eu”.

Continua Bruce: “Isto está acontecendo com homens em todo o mundo. Há uma epidemia, e as pessoas meio que não dão atenção. Todos sabem sobre câncer cervical, mas ninguém se informa sobre este outro câncer, que é a mesma coisa”, diz o vocalista.

Depois ele ainda expressa seu desprezo por parte da mídia que sugeriu que ele contraíra o câncer ao praticar sexo oral com mulheres. “Fiquei tipo, ‘Verdade?’ Se sua mulher ou filha estivesse com câncer cervical, você sairia por aí dizendo pra todos que ela era promíscua?”, pergunta Bruce. “É vergonhoso. Mas como são homens, as pessoas acham que podem (fazer piada e) sair de boa”, finaliza.

Vi no Whiplash

18 de outubro de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

Cientistas editam genes do glúten e produzem trigo para celíacos

Em testes preliminares, pessoas sensíveis à proteína conseguiram tolerar a nova versão – que é 85% menos nociva que as convencionais

 .

Descobrir-se intolerante ao glúten significa dar um doloroso adeus ao pão na chapa de todas as manhãs. E à tradicional macarronada de domingo. E também aos bolos de aniversário – e a qualquer outra coisa que tiver em sua composição quaisquer traços de grãos como trigo, centeio e aveia.

Por mais que pareça exagero, é importante manter mesmo toda essa disciplina. Para quem é celíaco, consumir uma quantidade irrisória de glúten (como um pedaço pequeno de pão francês) pode ser suficiente para ativar sintomas desagradáveis, como vômitos e enjoos.

Como a lista de proibições é extensa, é normal que os intolerantes recorram a substitutos para esses quitutes. O problema é que preferir outros ingredientes não costuma ser uma escolha tão prazerosa, já que é graças ao glúten que achamos esses carboidratos tão gostosos. E a explicação para isso está justamente em sua composição: o glúten contém dois tipos de proteínas, as gliadinas e gluteninas, que garantem critérios como a extensibilidade e elasticidade da massa – e deixam pães e bolos com aquela aparência firme, mas fofinha.

Gliadina dá, gliadina tira. Além de garantir a consistência do pão, a proteína também contém a maior parte dos componentes nocivos aos celíacos. Moléculas não digeridas de gliadina, ao entrarem com contato com sua mucosa intestinal, causam um processo inflamatório que dá início aos sintomas.

A boa notícia é que um novo estudo espanhol se propôs a dar um fim neste dilema. Conforme descreveram no jornal Plant Biotechnology, os pesquisadores conseguiram editar geneticamente o glúten para remover parte de suas gliadinas – e desenvolver um trigo menos nocivo para quem tem doença celíaca ou intolerância.

Utilizando a técnica CRISPR (sigla em inglês para Repetições Palindrômicas Curtas Agrupadas e Regularmente Interespaçadas) os cientistas inutilizaram 35 dos 45 genes do trigo responsáveis por produzir a gliadina. Isso possibilitou a criação de um novo trigo – que despertou uma reação imune 85% menos intensa.

O retorno humano, ao menos no primeiro momento, também foi bastante favorável. Segundo disse Francisco Barro, um dos autores do estudo, em entrevista à New Scientist, o pão feito com o trigo geneticamente modificado conseguiu ser tolerado por 20 cobaias sensíveis ao glúten.

VI na Superinteressante

3 de outubro de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

Consumir álcool pode te deixar mais saudável

05

Após entrevistar 320 mulheres entre 35 e 69 anos que já haviam sofrido ataques do coração, o periódico americano Archives of Internal Medicine publicou recentemente um estudo que demonstrou que aquelas que ingerem uma dose de álcool por dia têm menor propensão a desenvolver doenças cardíacas ou ter pressão alta em comparação com mulheres saudáveis da mesma idade. Em homens, no entanto, o efeito é o contrário: consumir álcool regularmente faz aumentar as batidas do coração.

21 de agosto de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

Essa é uma das drogas mais perigosas do mundo e você tem em casa

Como assim as pessoas estão usando drogas e não sabem? Bom, na verdade as pessoas tem a consciência do que estão usando, mas talvez não conheçam os perigos e consequências da droga. Estamos falando de flúor. Várias associações dentais dos EUA e o Centro de Controle de Doenças afirmam que esse relatório não tem relação com o flúor da água potável, mas recomendam que o leite em pó dos bebês não seja diluído em água da torneira. Isso porque uma análise descobriu que o flúor está ligado a efeitos de tiroide, especialmente em pessoas com deficiência de iodo.
Três especialistas que analisaram o estudo solicitaram publicamente para que parassem de colocar flúor na água potável. Isso porque baixos níveis de hormônio da tiroide podem aumentar o risco de doença cardíaca, colesterol alto, depressão e até baixa de QI em bebês que nascem de mães com tal problema. Isso mesmo, foi encontrado “uma forte e consistente associação entre a exposição ao flúor e baixo QI”.

Uma das principais questões seria as várias exposições ao flúor, como nos produto dentais, água e até os alimentos. Todas essas alternativas podem contribuir para o desenvolvimento de efeitos nocivos. Estudos posteriores seriam necessários para descobrir qual a dose necessária de flúor para que não aumente o risco de problemas de desenvolvimento neurológico, fluorose dental e óssea e câncer.

Em 2015, essa discussão veio a tona depois que Bela Gil fez comentários negativos sobre o flúor. Ela recomendou a substituição da pasta de dente por cúrcuma em pó, assim como se faz na medicina ‘ayurveda’. Ela foi ridicularizada por algumas pessoas, mas por outras ela foi bastante elogiada por ter coragem de desafiar um consenso científico que seria patrocinado pela indústria de produtos dentários.

“Países como os EUA, Canadá, Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia fluoretam a água. O Centro de Controle de Doenças, dos Estados Unidos, considera a fluoretação uma das maiores realizações da saúde no século 20, junto com as vacinas e o planejamento familiar”, afirmou o secretário-geral do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, Marco Manfredini.

Bom , é claro que cada caso é um caso, e o ideal seria cada pessoa ir ao dentista e fazer um tratamento dentário individualizado, mas como nem todo mundo tem acesso a um dentista, coloca-se flúor na água que todo mundo bebe para cuidar da saúde bucal de todos.
Mas e você, acredita que pode trazer sérios problemas a saúde ou acha que realmente o flúor ajudou a humanidade? Comente!

Fonte(s) Hypescience

Vi no Portal Vídeo

31 de julho de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

6 sinais de comportamento suicida

Nos últimos 10 anos aumentou o número de adolescentes e jovens que se matam no Brasil. Veja os principais sinais de alerta

A taxa de suicídio de adolescentes com idades entre 10 e 14 anos aumentou 40% nos últimos 10 anos e 33% entre aqueles com idades entre 15 e 19 anos, segundo o Mapa da Violência 2014. Todo dia, 28 brasileiros se suicidam e, para cada morte, há entre 10 e 20 tentativas. Médicos alertam que é um problema de saúde que não recebe tanta atenção por causa do tabu social. Para ajudar a combater essa epidemia silenciosa, veja essa lista de seis alertas sobre o comportamento suicida.

1 – Frases de alarme

Existe um mito de que pessoas que falam em suicídio só o fazem para chamar a atenção e não pretendem, de fato, terminar com suas vidas. “Isso não é verdade, falar sobre isso pode ser um pedido de ajuda”, afirma Mônica Kother Macedo, psicanalista especializada em suicídio e professora da PUCRS. Adriana Rizzo, engenheira agrônoma voluntária da ONG Centro de Valorização da Vida (CVV) há 16 anos, já atendeu milhares de ligações de pessoas que pensavam em suicídio. Algumas das frases mais comuns ouvidas por ela foram “não aguento mais”, “eu queria sumir” e “eu quero morrer”. Então, se você ouvir um parente ou amigo falando algo do tipo, preste atenção.

2 – Mudanças inesperadas

Todo mundo passa por mudanças na vida, faz parte do pacote. Mas algumas mudanças podem ser traumáticas quando não estamos preparados para elas. Uma pessoa fragilizada por uma depressão ou outro problema psíquico dificilmente terá condições de encarar uma mudança inesperada, como perder um emprego que considerava muito importante. “Alguém tinha um hobby e abandona tudo, era super vaidoso e fica desinteressado. A mudança de comportamento é o momento em que a gente se aproxima da pessoa para saber o que está acontecendo, porque quem sabe dividindo ela vai entender que é só uma fase”, diz Macedo.

3 – Depressão e drogas

As estatísticas alertam: para cada suicídio, há entre 10 e 20 tentativas, ou seja, quem tentou suicídio está muito mais vulnerável. “Uma tentativa de suicídio é o maior preditor de nova tentativa e de suicídio”, diz o psiquiatra Humberto Correa da Silva Filho, vice-presidente da Comissão de Estudos e Prevenção de Suicídio.

Segundo alerta: quase 100% das pessoas que se suicidaram enfrentavam algum problema mental – a maioria depressão. Quem está sofrendo depressão ou outro transtorno devem receber maior atenção . E, se a pessoa consome álcool ou outras drogas, atenção redobrada.  “O maior coeficiente de suicídio se dá por transtorno de humor associado ao uso de substâncias psicoativas, mais da metade dos casos de suicídio. Depressão e consumo de álcool e drogas é responsável pelo maior numero de mortes no mundo inteiro”, afirma o psiquiatra Jair Segal.

4 – Pode não ser só aborrescência

As taxas de suicídio dos jovens brasileiros aumentou mais de 30% nos últimos 10 anos, como explica nosso dossiê da edição de outubro. Mas, muitas vezes o comportamento errático atribuído como típico do adolescente pode ser um sinal de intenção de suicídio. “Existe uma falsa ideia de que a depressão atinge mais pessoas adultas. O adolescente apresenta outros sintomas, ele vai se trancar no quarto, não vai falar com ninguém, e isso vai ser entendido como fenômeno da adolescência normal, já que ele não consegue expressar seu sofrimento de uma forma clara”, explica Segal.

5 – Preto no branco

Somente 15% dos gravemente deprimidos vão se suicidar, mas a depressão severa continua sendo a maior causa do suicídio. Por isso, é preciso ficar atento quando a pessoa demonstra zero interesse na vida ou nos outros. “Para o deprimido, o mundo deixa de ser colorido, é preto e branco. Ele tem baixa autoestima, desinteresse por todos e fica muito voltado para ele mesmo”, explica o psiquiatra Aloysio Augusto d’Abreu. Quando em depressão severa, a pessoa se isola dos outros e não vê motivos para continuar viva. É um alerta de urgência.

6 – Bom demais para ser verdade

Um caso que marcou o psiquiatra d’Abreu foi o de um paciente muito deprimido que simulou uma melhora para passar o final de semana em casa e, lá, usar uma espingarda para se matar. A simulação de melhora é comum em diversos casos de suicídio, então, se uma pessoa que normalmente é deprimida parecer subitamente alegre, é importante acompanhá-la para garantir que ela não tentará o suicídio.

O que você pode fazer?

Segundo o psiquiatra da Rede Brasileira de Prevenção do Suicídio Carlos Felipe Almeida D’Oliveira, o ideal é conversar com a pessoa e não deixá-la sozinha. Ao conversar, procure não falar muito e ouvir mais, já que muitas vezes a pessoa só precisa ser ouvida. “Se possível, acompanhe-a a um profissional de saúde e peça orientação”, diz. Outra medida é retirar acesso de ferramentas potencialmente destrutivas dentro de casa – como arma, remédios e substâncias tóxicas – para evitar o uso delas em um impulso.

Fonte: http://revistagalileu.globo.com

Vi no Pensamento Líquido

17 de abril de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

Posts antigos


Dabun’s Page


Desde 28/07/2.009

Estatísticas

  • 336,331 acessos

RSS RSS