Diogo Portugal – Depoimento Lula

Não existe pergunta difícil:

.

22 de maio de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

Poker

Resultado de imagem para poker

Reconhecido em abril de 2010 como esporte da mente, o pôquer passou a ter o mesmo status que o xadrez.
Diferente do que as esposas, mães, tias e avós creem o Texas Hold’en não é um jogo de azar.
Hold’en é a modalidade do jogo em que cada jogador recebe duas cartas e outras cinco são abertas na mesa entre as apostas, vencendo aquele que se manter pagando as apostas e tiver a melhor combinação de cartas entre as sete.
A maioria das “mãos”, como é conhecida cada rodada do jogo, não termina com as cinco cartas abertas, porque os competidores acreditam que o apostador tem melhor jogo.
Costumo dizer aos principiantes que o jogo em si é facílimo de aprender, que basta decorar uma sequência de possibilidades que vai de uma carta maior ao tão sonhado royal straight flush, que consiste em ter um jogo com as cartas dez, valete, dama, reis e ás do mesmo naipe.
O que dificulta a jogabilidade são as apostas, que começam antes das cartas serem abertas na mesa, pois como já foi dito todo jogador começa com duas cartas em sua mão e cinco fechadas, viradas para baixo, na mesa e nesse momento faz-se as primeiras apostas.
O bom jogador sabe quando abandonar o jogo ao ver as duas primeiras cartas, ou aumentar a aposta. Consequentemente após apostarem ou abandonarem, se restou no mínimo duas pessoas, é aberta as três primeiras cartas, faz-se novamente as apostas, abre-se a quarta carta, aposta-se novamente, então mostra-se a quinta e assim os jogadores que se manterem à mesa podem conferir com exatidão qual tipo de combinação ele tem, então acontece a última oportunidade de apostar.
Outra dificuldade do poker é saber analisar o adversário. O filme “Cartas na Mesa”, tem como protagonista o ator Matt Damon, que personifica o estudante Mike, exímio leitor de adversários. Há uma cena que ele descreve as cartas de seus professores. Seria a magia de Hollywood ou existem mesmo pessoas capazes de analisar totalmente um ser humano em decorrência dos seus trejeitos?
Muitos nos perguntam se o jogo é legalizado. A respeito da legalidade dos jogos, eles podem ser classificados em três formas distintas: os jogos autorizados, os tolerados e os proibidos. Por autorizados, entende-se que são aqueles em que a chancela do poder público autoriza e/ou colabora para sua existência, é, por exemplo, a loteria federal. Jogos tolerados são aqueles que apesar da não proibição do estado, não recebem o seu amparo, ou seja, não há proibição assim como não há autorização expressa, nesta modalidade o ganho ou a perda do jogador não depende exclusivamente ou principalmente da sorte, mas, acima de tudo, da habilidade. Como jogos proibidos tem-se aqueles em que a norma penal tratou como delito, são jogos ilícitos, que em suma dependem exclusivamente ou principalmente da sorte.*
Como pudemos analisar o poker não é um jogo de sorte, muito menos de azar, depende da destreza dos seus competidores em saber a hora certa de agir.
Não tive ainda a oportunidade de conhecer às inúmeras casas de pôquer que pipocam por nossa região, os amigos que lá estiveram jogando torneios ou cash games, na maioria das vezes enaltecem o profissionalismo de seus administradores.
Tenho certeza que o poker chegou para ficar, não que seja um jogo novo, registros da Wikipédia, sem exatidão, demonstram que ele fora criado em 1934 por Jonathan H. Green.
Porém a modalidade jogada com mais frequência hoje em dia, principalmente na internet é o Texas Hold’en, acredita-se criado na primeira década do século vinte, cujo último WSOP (Word Series of Poker), premiou Qui Nguyen, jogador vietnamita naturalizado americano, com o bracelete (sonho de todo jogador profissional) e a bagatela de 8.005.310,00 dólares.
Então querido amigo leitor, quer levantar uma grana, apenas passar o tempo ou desenvolver seu intelecto, comece a praticar esse esporte que ainda vai dar muito o que falar.

            Inibmort

(*https://sandroalbuquerque.jusbrasil.com.br/artigos/112343990/a-legalidade-dos-jogos-de-poker-no-ordenamento-juridico-brasileiro-breves-consideracoes)

20 de maio de 2017 at 16:00 Deixe um comentário

Nina Dobrev

3 vivas pra essa gata do filme triplo X 3:

Resultado de imagem para Nina Dobrev

Resultado de imagem para Nina Dobrev

Imagem relacionada

Imagem relacionada

Imagem relacionada

Imagem relacionada

Via Google Images

18 de maio de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

Você sabe que o rock está moderninho quando…

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Pedro Zambarda de Araújo

Cansado das firulas do prog, o excesso de testosterona do metal ou a repetição do punk? Afim de ter um cabelo na moda sem parecer boiola, mesmo que todo mundo diga que isso é mito? Está afim de pegar mulheres sem as letras “de corno” do hard rock? Veja as regras do indierock, logo abaixo.

1 – Apesar de você fazer rock moderno, independente e descolado, o mandamento supremo é nunca se tornar emo, emocore e derivados. Mesmo que você tenha quedas por músicas desse tipo, fique longe.

2 – Mesmo assim, pode usar franja. Franjas são modernas.

3 – Mesmo sendo modernas, não abuse das franjas. Se alguém te chamar de emo, pare de usar a chapinha.

4 – Apesar de franjas serem a parada, você pode raspar o cabelo também. É dos carecas que elas gostam mais!

5 – Se você ficar esquisito careca ou com franja, use cabelo enrolado. A moda é variar mesmo!

6 – Se nenhum estilo de penteado te agrada, é melhor rezar.

7 – Tire sarro dos fãs “trues”. Tire sarro dos hardcores bobões. Tirar onda de fã fanático é coisa de “descoladinho”.

8 – Entre numa banda sem saber absolutamente nada sobre música.

9 – Se você estudou alguma coisa, seja um guitarrista como o Albert Hammond Jr. Toque o mínimo possível.

10 – Sua banda tem o prazo de duração normal de 3 meses.

11 – Nesses 3 meses, crie um MySpace.

12 – Se criar um MySpace, faça uma legião de pessoas acessarem.

13 – Se não conseguir uma legião de visitantes, finja que gosta da internet e de coisas “bacanas”.

14 – “Bacana”, “massa”, “descolado”, “moderno” são os termos sinônimos estúpidos para a palavra legal.

15 – Apesar de saber que são estúpidos, finja que são nomes cultos.

16 – Lembre-se: filmes Hollywoodianos são uma droga.

17 – Prefira filmes europeus.

18 – Quanto mais entediante for o filme, mais legal ele é. E consequentemente, mais “moderninho”.

19 – Seja um roqueiro moderno beberrão e fumante, se quiser. Pode usar drogas também.

20 – Mas faça sempre um discurso contra esses abusos. Época de aquecimento global, velho. Você precisa de fãs caretas.

21 – “Caretas” também é sinônimo de legal.

22 – Se você é um baterista moderno, não faça algo além do que Ringo Starr faria.

23 – Se você for um baixista moderno, não faça notas que usem mais do que duas cordas. Uma coisa bem new wave dos anos 1980.

24 – Esse número é gay. Gay é emo. Não seja emo, mesmo de franja.

25 – Se você for um guitarrista moderno, use guitarras vagabundas ou uma Fender bem velha. Suas guitarras devem estar ligadas em uma pedaleira que faz mais interferência do que barulho.

26 – Se você for vocalista, tenha uma voz de veludo. Ou de gralha. Modernidade não tem meio-termo, mas é sempre pop.

27 – Se tiver voz muito grave, seja Ian Curtis. Se tiver voz esganiçada, seja Kurt Cobain.

28 – Mas não seja TÃO Ian Curtis ou Kurt Cobain. Eles se suicidaram nos anos 1980 e 90.

29 – Suicídio é coisa de emo e emo é gay. Nada disso, cara.

30 – Se a sua banda passar de 3 meses, venda seu material para uma gravadora vagabunda e lance um CD.

31 – Faça faixas extras com experimentalismos igualmente vagabundos.

32 – Ou não!

33 – Se a sua banda passar de 6 meses, venda seu material para uma gravadora semi-vagabunda.

34 – Sobreviveu um ano? Meus parabéns! Venda tudo agora pra Warner ou pra EMI, que são as únicas gravadoras que prestam hoje em dia.

35 – Depois de encher o bucho de dinheiro, mulheres, grifes de roupas modernas e shows, resolva lançar um CD na internet e polemize todo o sistema!

36 – Mas, lembre-se: você não é comunista, só é simpatizante do Greenpeace. Venda o CD online por alguns meses e, depois, venda para alguma gravadora grande, pra voltar pro sistema.

37 – A MTV é sua amiga.

38 – Ou não. Se não for, faça entrevistas para jornais e revistas.

39 – O que importa é a publicidade. Mais do que o conteúdo.

40 – Grunge é indie. Um indie sujo.

41 – Math Rock é indie. Um indie limpo.

42 – Tenha uma namorada bizarra.

43 – Mulher, tenha um homem bizonho.

44 – Gay, tenha um namorado(a) bizonho.

45 – Calma, se você é hetero, não seja gay, porque gay é emo. Mas se você for homossexual, indies aceitam sem problemas. Afinal, modernices são politicamente corretas.

46 – Use roupas xadrez.

47 – Mas não xadrez preto e branco, isso é emo.

48 – Use calças duas vezes do seu tamanho. Arraste-a pelo chão.

49 – Use óculos bregas, que façam você parecer um mosquito gigante. Ou modelos mais quadrados. Dá na mesma.

50 – Bob Dylan é seu Deus, mesmo que você não saiba nada sobre música folk norte-americana ou mesmo fazer um acorde dedilhado no violão.

51 – Seja Billy Corgan do Smashing Pumpkins. Ele já teve todos os cortes de cabelo (longo, franja e hoje tá careca!), comeu a mulher do Kurt (a Courtney!) e tem uma voz que varia do esganiçado pro berro puro. Ultra moderno.

52 – Cultive costeletas, mesmo que seja coisa do tempo do Elvis.

53 – Se tiver falhas na barba, deixe as costeletas ou a própria barba crescer. Modernidade combina com Loser Manos.

54 – Faça uma banda nerd. Weezer é perito nisso. Fazem piadas que só o povo da internet pega. YOUR BASE BELONG TO US. Got it?

55 – Fazer álbum sobre computador também é sucesso certo. Radiohead que o diga!

56 – Você também pode fazer uma música pra balada. Killers consegue esse feito, mas cuidado pra não abusar do sintetizador.

57 – Seja blasé, mesmo que você não faça ideia do que essa palavra signifique, ou de qual idioma ela faz parte.

58 – Goste de bandas que não são independentes. Sean Lennon, o filho do John, confessou ser fã de Black Sabbath. Não que isso tenha algo a ver com o som que ele faz.

59 – Seja filho de celebridade, tipo o Sean Lennon.

60 – Use guitarras semi-acústicas. Les Pauls e Flying Vs são para metaleiros e punks. Você não é extremo assim.

61 – Grave algum clássico do rock em francês. Se a tradução estiver impossível, mude a letra, mesmo que os fãs caiam matando. Ninguém sabe esse idioma mesmo!

62 – Eu sei que All-Star era o calçado dos Ramones. No entanto, até Kurt Cobain abusou dele. Use você também!

63 – All-Star bom é All-Star sujo. Use até ele começar a falar.

64 – Mesmo em enchentes da sua cidade.

65 – Pode colocar alguns enfeites no All-Star, EXCETO estrelinhas, xadrezinhos e toda aquela zona de emo.

66 – Lembre-se: Seattle é _A_cidade.

67 – Se Seattle for “muito norte-americana” pra você, Londres é o seu lar.

68 – Mesmo que você tenha nascido no Zimbawe. Everything is from UK, babe!

69 – Diga que é um músico aberto para todas as influências musicais.

70 – Mesmo que você só saiba três acordes inteiros e bicordes. Ou só britpop. Bom, enfim.

71 – Diga que é o descendente vivo dos Beatles. Ou a reencarnação deles.

72 – Mas só diga isso bêbado e no grau pra brigar. Qualquer dúvida, procure Liam Gallagher.

73 – Se a sua banda sobreviver 2 anos, diga que é “a salvação do rock”, mesmo sabendo que o rock nem chegou perto de morrer.

74 – Faça letras em espanhol.

75 – Faça letras em espanhol sem saber espanhol, ou parecendo ser uma pessoa assim. The Mars Volta!

76 – Vire objeto de um documentário do Fantástico da Rede Globo ou seja um dos entrevistados do Altas Horas, programa da mesma emissora.

77 – Goste de instrumentos exóticos. Banjo, Ukulele, Cavaquinho, Pandeiro… mas não seja pagodeiro.

78 – Mesmo com 40 anos, use efeitos de photoshop nas suas fotos até parecer ter 18!

79 – Para as meninas e as mulheres, abuse da tecnologia até chegar nos 12 anos.

80 – Lembre-se: namorar uma menina indie menor de idade não é pedofilia. Elas são garotas cerebrais, cara! Mas não deixe ela abrir a boca, senão…

81 – Quando não souber o que lançar pro mercado, lance um CD de B-sides e restos de estúdio.

82 – Mas NUNCA lance um Best Of. Best Of é coisa de banda velha, passando da idade. Você é MODERNO.

83 – Faça festivais patrocinados por cervejas, mesmo sendo politicamente correto. Skol Beats, veio!

84 – A palavra “vibe” não é típica do moderninho, mas ele gosta dela. Boa vibe pra ti, cara!

85 – Se você é realmente fã de coisas modernas e na moda, você tem MySpace, Flickr, Orkut, Facebook, Blogger, WordPress, Fotolog.com, MSN, Gtalk, Gmail…

86 – Mesmo se você não manja NADA na internet!

87 – Ou se você posta ou comenta sempre as mesmas coisas nesses lugares. Tipo, você não sabe teclar nada além de “meu querido diário…” de formas maquiadas.

88 – Você, normalmente, é vegetariano.

89 – Se você não for vegetariano, tem muitos amigos vegetarianos e até come soja com eles.

90 – Mesmo se soja te dê alergia, dores no estômago ou tenha gosto de nada.

91 – “Tipo” é, tipo, _A_TENDEMSIA no mundo moderno.

92 – Você gosta de Alechat, aquele jeito muito esquisito de teclar que apareceu no Orkut.

93 – Exemplo de Alechat: OY, VOSSÊ KÉR FIKAR CUMIGU?1111

94 – Às vezes, eu disse, ÀS VEZES, você escreve miguxês. Mesmo sendo língua de emo.

95 – Você gosta de frases curtas.

96 – Você gosta de frases curtas e sem sentido.

97 – Você sempre disse que leu Dostoiévski. Na verdade, era uma revista Capricho ou uma Caras.

98 – Quando você não gosta de uma determinada música, fala que ela é tão “do sistema”.

99 – As groupies do seu show parecem cogumelos. Só dá menina de franja.

100 – Só um moderninho acredita na música dos moderninhos. Quando ela vai pra TV, você tem “Síndrome de Underground”, forma sinestésica de dizer depressão.

101 (BONUS TRACK!) – Se você tem uma ex-mulher com caso mal-resolvido, faça uma dupla de rock com ela. É mais reconhecido do que dupla sertaneja. Ultra moderno!

Vi no Whiplash

17 de maio de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

Por que o Reino Unido disputa a olimpíada como uma única nação?

É bem diferente da Copa do Mundo, onde Inglaterra, Escócia e País de Gales têm seleções separadas. Por que existe essa diferença?

PERGUNTA Toni, São Paulo, SP

A dúvida é compreensível, já que, na Copa do Mundo, cada país componente do Reino Unido tem sua própria seleção. A resposta é complicada, mas, em poucas palavras, por tradição. Nos Jogos Olímpicos, todos os territórios da coroa britânica competem como “Time Grã-Bretanha”. O problema é que “Grã-Bretanha” exclui todas as ilhas que não a principal, onde ficam Inglaterra, Escócia e País de Gales.

Sim, isso chateia muita gente, mas trocar por “Time Reino Unido” não adiantaria nada, pois alguns territórios, como Gibraltar, que fazem parte do time olímpico, não fazem parte do Reino Unido. Tudo isso porque desde os primeiros Jogos Olímpicos modernos, de 1896, essas delegações jogaram juntas, e permaneceram assim porque a separação não era de interesse de ninguém – sozinha, a Inglaterra estaria abaixo da Rússia no ranking de medalhas, e os outros territórios iriam lá para os cafundós da tabela.

Na Copa, a história é outra: a Inglaterra e a Escócia “inventaram” o esporte e criaram uma rivalidade desde 1872, antes de a Fifa existir. Então os países do Reino Unido preferiram seguir jogando separadamente, como nos velhos tempos.

Vi na Mundo Estranho

16 de maio de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

Mulher-Maravilha (Wonder Woman, 2017)

Trailer 3

.

15 de maio de 2017 at 10:00 Deixe um comentário

Cupido

Resultado de imagem para cupido

Era pra ser mais uma manhã qualquer, acordar os filhos, preparar o café pro marido, verificar se as suas coisas estavam corretas, pentear os cabelos, passar um batonzinho e partir para mais um dia de jornada.
O que ela não esperava é que o Cupido resolvera aprontar.
Não era possível, os anjos só poderiam estar de brincadeira, quem poderia explicar o ocorrido, ainda mais naquela idade, com os hormônios em guerra por causa da menopausa.
Porém o suar frio, as palpitações, a boca seca, eram indícios de que o amor renascera.
Já fazia alguns dias que ela se apanhava divagando, esquecendo o que estava fazendo, meio que perdida em seus pensamentos.
A culpa já não fazia parte da sua vida. Tudo que passara naqueles vinte e cinco anos de casada a absolvia de qualquer peso na consciência.
Sempre foi uma ótima esposa fiel, dedicada. Não fora uma ou duas vezes que descobrira e acabara perdoando os deslizes do esposo. Mesmo sua ausência no cuidado dos filhos, suas pescarias, noitadas em bares ou a jogatina desvairada.
Portou-se a vida toda com uma classe exemplar, comportamento exigido à maioria das senhoras da sua estirpe.
Acompanhou a derrocada de algumas amigas, que viam seus casamentos ruírem e no final acabavam divorciadas, solitárias e muitas vezes necessitando mendigar uma pensão para o ex.
Graças a Deus ela sempre fora independente. Tinha suas economias, nunca foi de viver na barra do marido. Olhava pra trás e se orgulhava do que conseguiu com o esforço de seus braços.
Nunca fora insensível, amava seu marido, porém após tantos anos, eram mais amigos do que amantes. As noites quentes de outrora foram se transformando em momentos mornos, quiçá frios.
Há muito o sexo deixou de ser prioridade em seu relacionamento, tinha a total convicção que mais por sua culpa do que a do marido, ele até que tentou manter a chama acesa, porém ela não tinha mais o pique de antes.
O filho mais velho estava cursando o último ano da faculdade de engenharia e a mais nova começando o curso de psicologia. Logo seria só ela e o Zé, como tratava o homem que ela jurava que era o da sua vida.
Até aquela dia…
Tudo começou infantilmente, com algumas brincadeiras no expediente.
Os happy hour nas sextas-feiras foram aos pouco se tornando insuficientes e os encontros foram se multiplicando.
Claro que ela sempre levou aquilo como uma bonita amizade, até necessária, pois fora o ambiente informal de trabalho sua vida era traçada de casa para a firma e vice versa.
A coincidência de gostos, só lhes aproximava mais, acabavam lendo os mesmos livros para depois debaterem sobre a história o mesmo com os filmes, séries…
Tudo parecia normal, até que se encontraram ocasionalmente numa casa de massagem, sentaram-se lado a lado durante a sauna e começaram a reparam em seus corpos, notando que apesar da idade eles continuavam fortes e bonitos.
E naquela de um apertar os membros do outro para conferir como ainda se mostravam rijos e sentiu uma mão no seu seio e foi nesse momento que a flecha a atingiu em cheio.
Com a sauna vazia ela aproveitou a oportunidade para também tocar no seio da amiga e sentindo a cumplicidade, beijo-a ali mesmo.

Inibmort

13 de maio de 2017 at 14:45 Deixe um comentário

Posts antigos


Dabun’s Page


Desde 28/07/2.009

Estatísticas

  • 320,037 acessos